Due Diligence: Como Comprar um Imóvel de Forma Segura?

Due Diligence: Como Comprar um Imóvel de Forma Segura?


Além de ser o sonho de uma grande parte dos brasileiros, comprar um imóvel também é um grande investimento para construtoras e incorporadoras. E, por ser um investimento de alto risco, faz jus ao ditado: “é melhor prevenir do que remediar”. Por isso, veja o que é a Due Diligence.

Uma das garantias de um bom negócio imobiliário é o contrato preliminar de compra e venda. Mas antes mesmo de estabelecer o contrato preliminar, é muito importante que seja feita uma Due Diligence

Quer entender o que é a Due Diligence e por que ela é recomendada? Continue lendo esse artigo. Nosso advogado especialista em direito imobiliário, Gregory Beilke, explica tudo sobre esse procedimento que garante um bom negócio imobiliário.

Afinal, o que é Due Diligence?

Na tradução livre, significa diligência devida, e nada mais é do que uma análise de risco. A due diligence imobiliária verifica se está tudo certo com o imóvel a ser adquirido, investiga o histórico do imóvel e do vendedor, antigos proprietários e até outros possíveis compradores. Essa avaliação tem como objetivo fazer uma análise detalhada do risco do negócio.

Essa análise pode ser feita tanto pelo comprador, para analisar o histórico do imóvel, quanto pelo vendedor, para verificar o perfil e ter segurança dos candidatos a compradores, evitando uma possível inadimplência. 

A Due Diligencia serve para prevenir problemas como:

  • Perda do imóvel por processos e dívidas do antigo dono;
  • Inadimplência do comprador, caso ele tenha impedimentos legais ou haja receio quanto à capacidade do comprador de pagar pelo imóvel;
  • Processos judiciais em decorrência de irregularidades do imóvel ou fraude do vendedor;
  • Intervenção de terceiros, caso o vendedor realmente não seja o proprietário do imóvel;

Preciso de uma Due Diligence

O que é possível saber com uma Due Diligence?

Essa análise previne problemas financeiros e jurídicos durante a negociação de algum imóvel. Com o procedimento, é possível saber:

  • As condições legais do imóvel a ser adquirido;
  • Se o imóvel está localizado em área de preservação ambiental; 
  • Se há alguma restrição na matrícula do imóvel;
  • O imóvel tem dívidas, como condomínio ou IPTU atrasados;
  • Se o proprietário do imóvel tem dívidas com o bem em garantia;
  • O vendedor é realmente o proprietário do imóvel;
  • Se o comprador tem restrições financeiras ou jurídicas; 

Quem pode fazer?

É importante esclarecer que a Due Diligence não é a mesma coisa que corretagem imobiliária. Corretagem é o procedimento de intermediação da venda, feito pelo corretor imobiliário. Enquanto que a Due Diligence é a análise de risco do negócio imobiliário. 

Por ser uma análise complexa, que demanda conhecimento técnico, deve ser feita por advogado especialista e/ou corretor de imóveis com experiência em direito imobiliário.

Para fazer um bom negócio, procure um advogado de confiança com especialização e experiência e faça a Due Diligence antes de adquirir qualquer imóvel. 

Siga a Beilke no instagram @beilke.co
Ou fale conosco pelo WhastApp.